‘Fitness de Pobre': blogueira cria página sobre dieta barata em MG

Com quase 10 mil seguidores, ela faz sucesso contando sua busca pessoal.
Postagens mostram as dificuldades de quem está na luta para emagrecer.

Via: G1

1_5

 

Emagrecer gastando pouco. Foi perseguindo essa meta que a bacharel em Direito de Pouso Alegre (MG) Ana Lívia de Moraes Rodrigues, de 26 anos, foi parar nas redes sociais com a página “Fitness de Pobre”. Com quase 10 mil seguidores, Nina, como é conhecida, conta há três anos os desafios de quem quer perder peso, mas fez as pazes com o próprio corpo. Com dicas simples e baratas, ela procura atingir um público que, assim como ela, quer emagrecer, mas não tem dinheiro para gastar com produtos milagrosos.

“Não adianta eu querer ter o corpo de uma modelo super magra. Meu corpo não é esse. Mas eu quero ficar bem. Hoje eu faço acompanhamento com nutricionista e personal trainer porque as pessoas começaram a me ajudar, mas nem todo mundo tem acesso a isso e acaba ouvindo muita loucura que tem por aí”, observa.

Veja: Médico ensina o que fazer para emagrecer rápio

Ela não passa exercício, não fala em milagre. Muito menos se dá ao trabalho de esconder quando se sente derrotada por aquela vontade repentina de comer uma pizza gigante. Nina é humana e está certo de que do outro lado da tela outras humanas passam pelas mesmas preocupações que ela.

Fitness de Pobre, Antes e depois, Nina Rodrigues (Foto: Daniela Ayres/ G1)Com página na internet, blogueira de Pouso Alegre (MG) fez as pazes com o espelho
(Foto: Daniela Ayres/ G1)

Pensando diferente
“O que eu acho legal é que a Nina incentiva as pessoas a terem uma alimentação mais regrada e mostrando que isso é possível sem pagar caro”, diz a personal trainer e amiga Patrícia Veloso de Aquino.

Educadora física, Patrícia pesquisava assuntos relacionados à boa forma física, quando encontrou “Fitness de Pobre”. A linguagem despojada e as dicas que simplificam dietas chamaram a atenção. Ela mesma, especialista em treinamento funcional e musculaçãoe prescrição de treinamento para a terceira idade, nunca havia pensado que comer podia ser muito mais barato.

Fitness de Pobre, Nina Rodrigues, Patrícia Veloso, academia (Foto: Daniela Ayres/ G1)Com a ‘personal-amiga’ Patrícia Veloso, Nina tem apoio técnico de graça para manter condicionamento físico
(Foto: Daniela Ayres/ G1)

“Você às vezes vai pelo que está mais fácil e o que está mais fácil nem sempre é o mais em conta”, avalia Patrícia. “E a Nina faz a gente pensar. O que eu mais gosto é que, ao contrário de muitas blogueiras, ela não passa dieta ou treino, porque cada um tem sua individualidade biológica. É preciso respeitar a capacidade física de cada um”, alerta.

Por meio da página, blogueira e educadora física se reencontraram. As duas estudaram juntas e depois cada uma seguiu o caminho. A dificuldade em seguir uma dieta e o gosto pelo universo fitness reuniu as amigas, que passaram a treinar juntas. Nina passava a contar com suporte técnico para fazer as aulas de musculação que hoje tanto aprecia. De graça, claro, porque o fitness é de pobre.

Fitness de Pobre, Antes e depois, Nina Rodrigues, internet, rede social (Foto: Daniela Ayres/ G1)Nina Rodrigues criou página na internet para mostrar que dieta pode caber no bolso de qualquer um
(Foto: Daniela Ayres/ G1)

Como tudo começou
“Eu sempre fui gorda e nunca tive força de vontade ara fazer exercício”, diz Nina sobre a época em que chegou a ficar mais de 20 kg acima do seu peso normal. “Então eu fiquei doente”, conta.

Fitness de Pobre, Antes e depois, Nina Rodrigues, Pouso Alegre (Foto: Daniela Ayres/ G1)Nina Rodrigues: em busca de soluções práticas
para se manter em forma (Foto: Daniela Ayres/ G1)

A infecção de garganta trouxe dificuldades para a blogueira se alimentar. Ela jura que chegou a pesar 70 kg na época e essa experiência mudou sua vida. “Não foi uma intervenção divina nem uma ajuda psicológica. Eu fiquei doente, deu uma diferença e eu resolvi dar um jeito”, resume.

A perda de peso trouxe outras preocupações para Nina. Ela não sentia o corpo firme. Detalhes na pele, como celulite e estria, se tornaram evidentes. A então estudante entrou em uma academia e começou a participar grupos fitness na internet. O que eles falavam não fazia sentido para ela.

Comer pode ser barato
“As pessoas comiam umas coisas complicadas, caras, que eram um absurdo. Dieta é uma coisa para se fazer todo dia. Como que eu vou fazer aquilo todo dia, se eu mal tinha dinheiro para comprar o que eu precisava de básico para comer?”, questiona.

Quer saber como emagrecer rápido? Clique aqui.

Uma amiga então sugeriu a criação de uma página para que Nina tivesse o seu próprio grupo de discussão e descobrir caminhos mais fáceis para manter a forma. Nascia assim Fitness de pobre, da qual a jovem se autodenomina “musa, soberana, rainha e proprietária”. Com base nas centenas de comentários que o espaço recebe, resta alguma dúvida?

Fitness de Pobre, dieta, alimentação, Pouso Alegre (Foto: Daniela Ayres/ G1)Blogueira comenta na internet descobertas que faz na feira em busca da dieta barata
(Foto: Daniela Ayres/ G1)

“Nina, você é a melhor de todas. Sabe por quê? Porque é real! Passa as mesmas coisas que a gente, tem que trabalhar, correr atrás e ainda arrumar um tempinho pra malhar”, comenta a internauta Caroline Quintanilha. “É isso mesmo, Nina. Por isso você me inspira a cada dia que passa! Você é gente como a gente! Te adoro”, declara outra seguidora, Michele Caetano.

Felicidade sem fita métrica
Com Fitness de Pobre, Nina e seus milhares de seguidores se reconhecem. Para a blogueira, foi a descoberta do mundo das verduras e frutas, dos legumes, da comida caseira, do cardápio organizado por dia, dos pequenos truques que tornam a dieta mais fácil. Foi também a descoberta de si mesma.

Fitness de Pobre, dieta, alimentação, Pouso Alegre (Foto: Daniela Ayres/ G1)Alimentos naturais e pesados fazem parte do
segredo de se ter uma dieta saudável e econômica
(Foto: Daniela Ayres/ G1)

Ao invés de gastar R$ 20 com uma garrafa de suco que promete desintoxicar o organismo, Nina já sabe que pode comprar frutas e fazer sucos em casa. O custo benefício é óbvio: o dinheiro dura mais tempo e ela tem certeza sobre o que está consumindo.

Para o pré-treino, ela encontrou no café um aliado e no exercídio diário da culinária ela aproveita melhor os alimentos. Com a economia feita, pode investir em produtos integrais e menos industrializados, que, à primeira vista, parecem caros, mas pesam menos no orçamento se comparados com os tradicionais. Tudo é pesado e acompanhado um nutricionista, que a ajuda voluntariamente.

“Eu quero ser saudável. Eu quero ser feliz. Não é a fita métrica que mede isso. Estou quase como eu quero. Só o excesso de pele na região da barriga que me incomoda, mas logo vou conseguir fazer uma cirurgia plástica e fica tudo certo. Hoje eu não fumo mais, não bebo, minha saúde é outra e o melhor, gasto muito pouco com isso”, comemora.

250x300H-1-1

One Comment

Add a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *